Páginas

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Flor da Serra vence o Desafio Superbandas

A banda Flor da Serra foi a grande vencedora do Desafio SB. Nesta promoção da revista Superbandas uma letra de música é publicada na revista e o veículo desafia as bandas a criarem uma melodia. A melhor melodia é escolhida pela equipe da revista, que analisa de forma subjetiva a criação, bem como afinação, instrumentação, apelo comercial e demais aspectos citados no regulamento da promoção.
A FLOR DA SERRA participou com sua melodia e, dentre as 10 participantes, ficou em 1º lugar. Por isso, estampa a capa da revista de novembro, além de ter uma matéria de página dupla neste mesmo mês (confira na foto).
A música intitulada "PRA ONDE QUE ISSO VAI?" será inserida no Volume 16, recém lançado pela banda, já no próximo lote de CDs a ser produzido pela gravadora Acit. A música já circula pelas emissoras do sul e tem tudo para ser o maior sucesso!
Confira você também!
Fonte: http://www.acit.com.br/

Abraço,

Rafa.

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

22/11 Dia do Músico e de Santa Cecília

Amanhã comemora-se o dia do músico. Sabem porque o dia 22 de novembro é o dia do músico?? Pois é, muita gente tinha essa curiosidade. Então resolvi escrever e sanar todas essas duvídas. Amanhã é o dia de Santa Cecília, padroeira da música e é sobre ela que escrevo para que conheçam um pouco da história dela e desta data importante para o meio musical.

Santa Cecília é uma santa cristã, padroeira dos músicos. Não se tem muitas informações sobre a vida de Santa Cecília. É provável que tenha sido martirizada entre 176 e 180, sob o império de Marco Aurélio.Escavações arqueológicas, não deixam dúvidas sobre a sua existência.
Segundo a Paixão de Santa Cecília, escrita no século V, Cecília seria da nobre família romana dos Metelos, filha de senador romano e cristã desde a infância.
Os pais de Cecília, sem que a filha soubesse, prometeram-na em casamento a um jovem patrício romano, chamado Valeriano. Se bem que tivesse alegado os motivos que a levavam a não aceitar este contrato, a vontade dos pais se impôs de maneira a tornar-lhe inútil qualquer resistência. Assim se marcaria o dia do casamento e tudo estava preparado para a grande cerimônia.
Da alegria geral que estampava nos rostos de todos, só Cecília fazia exceção. A túnica dourada e alvejante peplo que vestia não deixavam adivinhar que por baixo existia o cilício, e no coração lhe reinasse a tristeza.
Estando só com o noivo, disse-lhe Cecília com toda a amabilidade e não menos firmeza: “Valeriano, acho-me sob a proteção direta de um Anjo que me defende e guarda minha virgindade. Não queiras, portanto, fazer coisa alguma contra mim, o que provocaria a ira de Deus contra ti”. A estas palavras, incompreensíveis para um pagão, Cecília fez seguir a declaração de ser cristã e obrigada por um voto que tinha feito a Deus de guardar a pureza virginal.
Disse-lhe mais: que a fidelidade ao voto trazia a bênção, a violação, porém, o castigo de Deus. Valeriano vivamente impressionado com as declarações da noiva, respeitou-lhe a virgindade, converteu-se e recebeu o batismo naquela mesma noite. Valeriano relatou ao irmão Tibúrcio o que tinha passado e conseguiu que também este se tornasse cristão.
Turcius Almachius, prefeito de Roma, teve conhecimento da conversão do dois irmãos. Citou-os perante o tribunal e exigiu peremptoriamente que abandonassem, sob pena de morte, a religião que tinham abraçado. Diante da formal recusa, foram condenados à morte e decapitados.
Também Cecília teve de comparecer na presença do irredutível juiz. Antes de mais nada, foi intimada a revelar onde se achavam escondidos os tesouros dos dois sentenciados. Cecília respondeu-lhe que os sabia bem guardados, sem deixar perceber ao tirano que já tinham achado o destino nas mãos dos pobres. Almachius, mais tarde, cientificado deste fato, enfureceu-se extraordinariamente e ordenou que Cecília fosse levada ao templo e obrigada a render homenagens aos deuses.
De fato foi conduzida ao lugar determinado, mas com tanta convicção falou aos soldados da beleza da religião de Cristo, que estes se declararam a seu favor, e prometeram abandonar o culto dos deuses.
Almachius vendo novamente frustrado seu estratagema, deu ordem para que Cecília fosse trancada na instalação balneária do seu próprio palacete e asfixiada pelos vapores d’água. Cecília experimentou uma proteção divina extraordinária e, embora a temperatura tivesse sido elevada aponto de tornar-se intolerável, a serva de Cristo nada sofreu. Segundo outros, a Santa foi metida em um banho de água fervente do qual teria saído ilesa.
Almachius recorreu então à pena capital. Três golpes vibrou o algoz sem conseguir separar a cabeça do tronco. Cecília, mortalmente ferida, caiu por terra e ficou três dias nesta posição. Aos cristãos que a vinham visitar dava bons e caridosos conselhos. Ao Papa entregara todos os bens, com o pedido de distribuí-los entre os pobres. Outro pedido fora o de transformar a sua casa em igreja, o que se fez logo depois de sua morte. Foi enterrada na Catacumba de São Calisto.

As diversas invasões dos godos e lombardos
fizeram com que os Papas resolvessem a transladação de muitas relíquias de santos para igrejas de Roma. O corpo de Santa Cecília ficou muito tempo escondido, sem que lhe soubessem o jazigo.
Uma aparição da Santa ao Papa Pascoal I
(817-824) trouxe luz sobre este ponto. Achou-se o caixão de cipreste que guardava as relíquias. O corpo foi encontrado intacto e na mesma posição em que tinha sido enterrado. O esquife foi achado em um ataúde de mármore e depositado no altar de Santa Cecília. Ao lado da Santa acharam seu repouso os corpos de Valeriano, Tibúrcio e Máximo.
Em 1599, por ordem do Cardeal Sfondrati, foi aberto o túmulo de Santa Cecília e o corpo encontrado ainda na mesma posição descrita pelo papa Pascoal. O escultor Stefano Maderno
que assim o viu, reproduziu em finíssimo mármore, em tamanho natural, a sua imagem.
A Igreja ocidental, como a oriental, tem grande veneração pela Mártir, cujo nome figura no cânon da santa Missa. O ofício de sua festa traz como antífona um tópico das atas do martírio de Santa Cecília, as quais afirmam que a Santa, nos festejos do casamento, ouvindo o som dos instrumentos musicais, teria elevado o coração a Deus nestas piedosas aspirações: “Senhor, guardai sem mancha meu corpo e minha alma, para que não seja confundida”.
Desde o século XV, Santa Cecília é considerada padroeira da música sacra. Sua festa é celebrada no dia
22 de Novembro, dia da Música e dos Músicos.
Abraços,
Rafa.




segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Seja você um "seguidor" deste Blog!

Olá pessoal,
Graças a Deus estou percebendo que o nosso blog esta cada vez mais sendo visitado e para minha alegria aprovado também.
Por isso, gostaria de conhecer um pouco mais de quem acompanha as postagens deste que vos escreve. É bem facíl... Dá uma olhadinha no lado direito da tela, é só clicar no iconezinho "acompanhar este blog" e te cadastrar como um de meus "seguidores".
Então, ta esperando o que???? Te conecta conosco agora mesmo Tchê!!!
Abração,
Rafa.

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Danúbio Azul lança DVD

A banda DANÚBIO AZUL foi fundada em janeiro de 1968, na cidade gaúcha de Crissiumal. Passo a passo, somando experiências e conquistando o público, a banda alcançou reconhecimento.
Atentos a cenários e tendências que não se limitam a regiões, o Danúbio Azul evoluiu junto com o seu público e foi adquirindo uma nova roupagem, redirecionando seus trabalhos dentro da modernidade necessária à satisfação dos espectadores.
Um grande passo neste sentido foi dado em julho deste ano, quando o Danúbio gravou seu primeiro CD e DVD ao vivo, na Festa Nacional do Queijo e do Vinho, em Salgado Filho, no Paraná. No repertório do DVD estão músicas como Caso marcado, Está frio sem você, Clube dos Expulsos, Fora de Controle, Bebo por ela e Tá tudo bem que nada, entre outras. No total, são 16 grandes sucessos da banda que receberam versões ao vivo. Há também regravações de hits nacionais, como: É Bonita e Bandida, Tá difícil de Voltar e Vou te Amar, além de um poutporri de clássicos sertanejos como Telefone Mudo, Fio de Cabelo e Paixão Proibida. E é claro, as inéditas Só Você e Eu e Pai Obrigado. Na faixa História de Amor temos a participação de Elena Pelenz, uma grande amiga da banda.
O DVD traz ainda, nos extras, um making of da gravação e fotos exclusivas.
Abraço,
Rafa.

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Fávio Dalcin com novo CD na praça.

Consolidando de vez o seu trabalho solo junto à Banda Ouro, Flávio Dalcin lança seu terceiro CD. O disco é composto por 13 faixas, em sua maioria inéditas e de autoria do próprio Dalcin.
As músicas "O nome dela é meu amor" e "Faz tempo que te tenteio", já conhecidas do público, vêm com uma nova roupagem, com a energia característica de sua banda.
Esse terceiro trabalho traz um repertório dançante com a cara e a marca de profissionalismo de Flávio Dalcin, reafirmando seu potencial como compositor e cantor, assim como a capacidade musical dos integrantes da Banda Ouro.
Apreciem sem moderação esse novo trabalho do Flávio e sua banda que realmente vale ouro!
Abraço,
Rafa.

terça-feira, 11 de novembro de 2008

Acit fecha parceria com Grupo Tradição

A ACIT e o Grupo Tradição firmaram contrato para a distribuição exclusiva do novo CD e DVD "Micareta Sertaneja 2" em todo o sul do país.
O Grupo Tradição surgiu há 11 anos no Mato Grosso do Sul, e hoje é reconhecido no mercado musical nacional e internacional. O Tradição apresenta um ritmo diferenciado em suas composições e fica evidente a mistura de gêneros como: vanerão, forró, axé, chamamé, sertanejo, música romântica, rasqueado, polka e guarânias latinas - os rotulando como um Grupo Sertanejo. E com isso o Grupo conquistou além do público, o carinho e respeito do mercado musical.
Em 2007, o grupo inovou apresentando ao mercado o CD e DVD "Micareta Sertaneja", que agora ganha seu segundo volume, gravado na Festa do Pinhão, em Lages, Santa Catarina, em duas etapas: em cima de um trio elétrico e no palco de shows, resultando na "Micareta Sertaneja 2", título do novo CD e DVD da banda.
O tradição hoje ostenta a condição de um dos nomes mais executados nas rádios do país e requisitados entre os contratantes de shows das mais diversas regiões. A ACIT é a maior gravadora do Sul. Esta união de gigantes promete gerar excelentes frutos.
Fonte: Gravadora Acit


Abraços,
Rafa.




segunda-feira, 3 de novembro de 2008

A Gravadora Acit apresenta o segundo CD ao vivo do Tchê Chaleira, o grupo sensação da Tchê Music. A gravação aconteceu em agosto, no Clube Farrapos, em Porto Alegre.
Na estrada há onze anos o Grupo Tchê Chaleira já gravou cinco CDs, sendo este o sexto.
O primeiro, "Ao Tranco", em 1999, "A Festa do Vanerão", em 2001, "É só Alegria", gravado em 2003, "Som e Imagem", de 2005 e o primeiro Ao Vivo, gravado em 2006.
Neste trabalho, o grupo dá seqüência a idéia de regravar músicas de outros estilos em ritmo de vaneira, com a característica do Tchê Chaleira, em arranjos diferenciados. Este é o caso da música de trabalho Cachaça, Mulher e Gaia, Lua Cheia, originalmente gravada por Armandinho, e Ficar Por Ficar, de Bruno e Marrone. No CD, também encontramos músicas inéditas como Pra você, O Tchê Chaleira Chegou, além de uma seleção de músicas de CDs anteriores da banda que já animam o público nos shows do grupo, a exemplo de Pega Pega.
Abraço,
Rafa

I made this widget at MyFlashFetish.com.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...